O que é Cromatografia em Coluna

Em cromatografia líquida a fase estacionaria pode ser colocada dentro de um tubo (coluna) ou em uma superfície plana (vidro, metal, papel e outros materiais). Em função desta diferenciação a cromatografia líquida passou a ser classificada como cromatografia em coluna (fase estacionária dentro do tubo) ou cromatografia planar (fase estacionária em superfície plana). Na cromatografia gasosa e na cromatografia com fluido supercrítico apenas a modalidade em coluna tem sido utilizada.

A cromatografia em coluna é uma modalidade de cromatografia na qual a fase estacionária é colocada dentro de um tubo, usualmente cilíndrico, muitas vezes denominado de coluna (na verdade, a coluna é constituida do tubo e a fase estacionária).

O tubo, dentro do qual a fase estacionária é colocada formando então a coluna, pode ser feito de vidro, metal (aço, cobre, alumínio e outros), polímeros (teflon, peek, etc.) ou de sílica fundida, sendo o último o material mais utilizado atualmente em cromatografia gasosa. Quando o interesse da análise é apenas separar e quantificar os compostos, a técnica é denominada cromatografia em escala analítica (ou seja, o interesse é apenas em analisar os compostos); quando o objetivo é separar os compostos para posterior uso (seja para identificação por outra técnica; determinação da atividade biológica; avaliação para outras aplicações) a técnica é denominada cromatografia em escala preparativa.

 

Referências Bibliográficas:

1. Lanças, F.M. “Cromatografia Líquida Moderna”, Editora Átomo, 2009.